« Voltar para Atualidades

Atualidades

O que fica do Setembro Amarelo

27 SET, 2017 Autor: JOSÉ ROBERTO ABRAMO
O que fica do Setembro Amarelo (27/09/2017)

Há quatro anos consecutivos a Associação de Psiquiatria (ABP) em parceria com o Conselho Federal de Medicina (CFM) vem organizando nacionalmente a Campanha Setembro Amarelo. No dia 10 de Setembro último foi dado como oficial o dia Mundial de Prevenção do Suicídio.

 A questão do suicídio é um problema de saúde pública, sem dúvida. Em apenas um dia, pelas pesquisas de área, 32 pessoas se suicidam no Brasil. A grossa maioria desta quantidade poderiam ter sido evitadas uma vez que transtornos circunstanciais, percebidos a tempo de um socorro, poderiam ter sido revertidos. Falar, quebrar tabus, superar estigmas e senso comum, alertar a população e conscientizar são tarefas cotidianas, e ganham sentido para que se evite que o fato se concretize, já que 9 entre 10 suicídios poderiam ser evitados


“Doe um minuto, mude uma vida”. Este foi o tema da Associação Internacional de Prevenção do Suicídio (IASP) para o 10 de setembro, último, Dia Mundial de Prevenção do Suicídio.  Segundo O IASP, há 25 vezes mais tentativas.

No Brasil, novos dados divulgados pelo Ministério da Saúde mostram que o índice de suicídios cresceu entre 2011 e 2015. E esta é a quarta maior causa de mortes entre jovens de 15 e 29 anos.

Em 2011, foram 10.490 mortes: 5,3 a cada 100 mil habitantes. Já em 2015 o número chegou a 11.736: 5,7 a cada 100 mil, segundo dados são do Sistema de Informação sobre Mortalidade (SIM).

Em termos globais o suicídio mata mais que homicídios e guerras juntos.

Considera o SIM que fatores de uma complexa interação, sejam eles biológicos, genéticos, psicológicos, sociais, culturais e ambientais, torna difícil explicar como a exposição aos mesmos fatores de risco implicam condutas diferenciadas, dependendo dos sujeitos envolvidos. O estudo de suicídio entre idosos é alarmante e passa pela mesma indefinição descrita acima.

Os suicídios se tornam invisíveis, por ser um tabu sobre o qual mantem-se o silêncio. Os suicídios merecem atenção, porque alertam para um sofrimento imenso.

Entre jovens, o bullying, o machismo, a violência e o assédio sexual e a falta de diálogo com os pais são alguns dos temas trabalhados, pelas equipes de prevenção. Aliás, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a depressão e o bullying são dois dos principais motivos que levam um jovem a cometer suicídio. Mas também, abuso de drogas, álcool, abusos e violência doméstica. Outro dado importante da mesma instituição, é que o suicídio mata mais jovens do que o vírus HIV. E poderíamos falar do cyber bullying, outro fator que vem a agregar riscos, até pela facilidade de comunicação por redes.

Em resumo:

“Tentativas de suicídio e suicídio entre adolescentes constituem-se em uma situação frequente na atualidade, ocorrendo, em sua maioria, após rompimentos de relacionamentos afetivos ou desentendimentos familiares(1). Nessa perspectiva, adolescentes justificam tentativas de suicídios em função de vínculos familiares fragilizados ou distorcidos e relações afetivas rompidas ou não correspondidas que, simbolicamente, podem significar frustração afetiva, familiar, relacional, social e cultural”.

Clique aqui para conferir uma referência para este texto.

Em estudos da Faculdade de Saúde Pública de Harvard, nos Estados Unidos, pacientes que receberam altas doses de antidepressivo tiveram duas vezes mais comportamentos suicidas do que aqueles que tomaram a dose usual.

Importante a palavra de psicólogos e psiquiatras sobre como detectar e prevenir.

Este pode ser um tema também importante para a Redação do ENEM.

Fica então a dica da leitura destes dados e deixamos um vídeo:

Como ajudar alguém em risco de suicídio? Psiquiatra Dra Maria Fernanda Caliani*  fala sobre o tema. Não deixe de ver, não só para estar inteirado dos fatos relativos à nossa sociedade, mas também para saber desenvolver um raciocínio correto diante do tema em caso de uma Redação.

*Formação acadêmica: IPQ - INSTITUTO DE PSIQUIATRIA DO HCFMUSP
 
Outras referências:

http://veja.abril.com.br/saude/alta-dose-de-antidepressivo-aumenta-risco-de-suicidio-diz-estudo/

https://www.infoenem.com.br/temas-redacao-enem-2017-como-prevenir-o-suicidio-entre-os-jovens/

https://www.cvv.org.br/blog/um-setembro-mais-amarelo/

http://revistagalileu.globo.com/Ciencia/Saudeoticia/2017/09umero-de-suicidios-aumentou-12-no-brasil-mostra-ministerio-da-saude.html

http://www.bbc.com/portuguese/brasil-39672513

 

 

Vídeos

Comentários

Nenhum comentário feito. Seja o primeiro!

Deixe um comentário:

[ Não será exibido ]
 
 

Mais Atualidades

TÁ NA REDE - GERAÇÃO MILLENNIAL

14 NOV, 17 Autor: José Roberto Abramo

Os Millenials foram feitos para serem livres pensadores, conectados, famintos e questionadores. Eles quebram todas as regras dos escritórios e querem sempre inovar. O Tá na Rede de hoje fala sobre a...

SAIBA MAIS

ENEM

19 SET, 17 Autor: JOSÉ ROBERTO ABRAMO

Revolução Russa 100 anos

SAIBA MAIS

Nióbio – o que é e para que serve

04 AGO, 17 Autor: JOSÉ ROBERTO ABRAMO

 Nióbio é um elemento químico descoberto pelo britânico Charles Hatchett em 1847, que a princípio o denominou de Columbius. Mais tarde foi rebatizado por...

SAIBA MAIS

1 2 3 > >>
LINK SABER - CURSO UM TORQUE - VAIALI.COM
(32) 99924 - 5729
Rua: Marechal Deodoro nº 982 (parte Alta) Juiz de Fora MG